Minicursos


Os cursos serão realizados no local do evento (Setor de Tecnologia da UFPR - Campus Centro Politécnico) no dia 4 de outubro, de 8 às 16h.

Introdução, Conceitos, Fundamentos, Métodos (Radar de Penetração no Solo - GPR, outros métodos geofísicos úteis para as ciências forenses). Emprego da geofísica forense na busca de corpos e objetos ocultos (Apresentação de casos, Construção de malha de amostragem para emprego do GPR). Levantamento de campo com a busca de objetos enterrados em sítio controlado nas dependências da UFPR.

Processamento básico e interpretação de dados do GPR.

Marcelo de Lawrence Rafael Espíndola
Dr. Marcelo de Lawrence Bassay Blum, Perito Criminal Federal, possui doutorado em Geociências (Universidade de Brasília, 1999), mestrado em Geologia (Universidade de Brasília, 1995) e graduação em Geologia pela Universidade de Brasília (1992). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geofísica Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: Local de Crime, Geofísica Forense, Engenharia Legal, busca por restos mortais de desaparecidos, Geologia Forense, Gemologia Forense. Um dos idealizadores e construtores do Sítio Controlado para Estudos de Geofísica Forense no Instituto Nacional de Criminalística, Diretoria Técnico-Científica da Polícia Federal em Brasília-DF. Atualmente está lotado na Superintendência Regional de Santa Catarina.

Dr. Rafael Espíndola Canata é graduado em Geologia pela Universidade Federal do Paraná (2009), com Mestrado (2015) e Doutorado (2020) em Geologia Ambiental, com ênfase em Geofísica Forense, pelo Programa de Pós-Graduação em Geologia da Universidade Federal do Paraná. Foi consultor da empresa Síntese Geologia e Meio Ambiente (2007 a 2013), tendo participado de projetos ambientais, geotécnicos e mapeamentos geológicos. Atualmente é pesquisador de Pós-Doutorado na Universidade de Brasília (UnB), em convênio com o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Forense, pesquisador do Grupo Geociências Forenses (CNPq/UFPR) e Geofísica Forense (CNPq/UnB). É geofísico colaborador do Instituto Nacional de Criminalística (INC/DF), da Policia Federal, e do Setor Técnico-Científico da Polícia Federal do Paraná.

Nos últimos anos diversos avanços tecnológicos na área da computação, tais como o aumento no poder de processamento, armazenamento e distribuição de dados, permitiram o surgimento e a utilização de diversas metodologias para obter informações de grandes conjuntos de dados através de Machine Learning (ML). O ML nas geociências possui um vasto campo a ser explorado, uma vez que esta ciência possui uma abundância de dados que representam relações complexas na natureza. A compreensão destas ferramentas pode auxiliar aos novos pesquisadores a resolverem problemas do cotidiano, como avaliar mapas geológicos, identificar padrões em imagens, predizer mineralogias, identificar anomalias, gerar mapas de prospectividade mineral, entre outros.

Este minicurso propõe apresentar uma introdução a ML, seus tipos e a como utilizá-lo no auxílio a cartografia geológica, através da integração linear/não-linear de sensores remotos e mapas geológicos.

Iago Costa
Formou-se em Geofísica pela Universidade de Brasília (UnB) em 2013. Após concluir a graduação, ingressou no Serviço Geológico do Brasil (SGB/CPRM) para atuar como pesquisador em geociências na área de Geofísica. Sua carreira se iniciou na fiscalização de aquisição de dados aerogeofísicos, caracterização geofísica de depósitos minerais, e no entendimento da evolução geodinâmica do Atlântico Sul. Em 2018, concluiu mestrado no programa de Pós-graduação em Geociências Aplicadas e Geodinâmica da UnB, onde estudou o manto continental sublitosférico do Cráton Amazônico utilizando Tomografia Sísmica de Múltiplas Frequências. Após o mestrado, se iniciou na vertente de Data Science e técnicas de Machine Learning (ML) para otimização de problemas geocientíficos. Estas iniciativas geraram publicações na área de ML para geração de mapas litológicos preditivos, automação de processos geocientíficos, comportamento estatístico e estimativa de depósitos minerais não descobertos, e no desenvolvimento de novas técnicas de detecção de anomalias. Atualmente atua como Coordenador Executivo da Diretoria de Geologia e Recursos Minerais do SGB.

Este curso tem por objetivo apresentar a geofísica aplicada e sua importância na investigação de ambientes submersos rasos no contexto da geologia costeira, oceanografia geológica e geofísica marinha, com foco em projetos de obras civis (portos, pontes, túneis, emissários, cabos e dutos subaquáticos, barragens, windfarms), em estudos de assoreamento e erosão de margens de reservatórios de água.

Arqueologia subaquática também faz parte dos temas abordados no curso. Serão apresentados os fundamentos dos principais métodos geofísicos utilizados na investigação destes ambientes, com foco especial nos métodos acústicos (batimetria, sonar de varredura lateral e perfilagem sísmica contínua) e exemplos de aplicações em projetos desenvolvidos pelo IPT e por outras empresas e instituições de pesquisa do Brasil e do mundo. Principais temas a serem abordados: (i) Apresentação e introdução geral aos conceitos básicos em geofísica aplicada em ambientes submersos; (ii) Fundamentos dos métodos acústicos empregados na investigação de ambientes submersos (batimetria, sonar de varredura lateral e perfilagem sísmica contínua); (iii) Equipamentos geofísicos (hidrofones e fontes acústicas - ecobatímetros, sonar de varredura lateral, chirp, boomer e sparker); (iv) Resolução/penetração e a utilização simultânea de várias fontes acústicas; (v) Exemplos de aplicação de métodos geofísicos no Brasil e no mundo; (vi) Outros métodos geofísicos empregados na investigação de ambientes submersos rasos; (vii) Planejamento de ensaios geofísicos, procedimentos de aquisição, processamento e interpretação de dados geofísicos.

Luiz Antonio
Dr. Luiz Antonio Pereira de Souza é Geólogo, formado pelo Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (USP). Doutor em Ciências na área de Oceanografia Química e Geológica pelo Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (2006). Mestre em Ciências na área de Oceanografia Física, opção Oceanografia Química e Geológica, pela Universidade de São Paulo (1995). Pesquisador, desde 1981, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT). Atua na área de Geociências, no campo da Geofísica Aplicada, com foco na investigação geofísica de áreas submersas rasas por meio dos métodos de perfilagem sísmica contínua (que utiliza fontes acústicas do tipo boomer, sparker, chirp), sonar de varredura lateral (side scan sonar) e ecobatimetria. Publicou vários artigos em revistas indexadas, 5 capítulos de livro, mais de 20 trabalhos em eventos nacionais e internacionais de geologia e geofísica, além de mais de 40 relatórios técnicos oriundos de prestação de serviços especializados na área de geofísica aplicada. No IPT coordenou e desenvolveu dezenas de projetos de pesquisa em temas que envolvem estudos relativos a assoreamento de reservatórios, hidrovias, portos, dutovias, pontes e barragens. Teve sua tese de doutorado premiada com Menção Honrosa através do Prêmio Capes de Teses de 2007.

  1. Visão geral sobre software livre para processamento sísmico (Seismic Unix, Madagascar, GêBR).
  2. Revisão teórica sobre imageamento sísmico aplicado a dados GPR.
  3. Processamento GPR (Leitura e edição de dados, Filtragem, Ganho, Eliminação de ruído aleatório e Migração).

Eduardo Filpo Ricardo Caetano
Dr. Eduardo Filpo Ferreira da Silva possui graduação em Geologia pelo Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (1983), doutorado em Geofísica pela Universidade Federal da Bahia (2002) e pós-doutorado pela Center for the Wave Phenomena - Colorado School of Mines (2008). Atualmente é geofísico do Petróleo Brasileiro - Rio de Janeiro - Matriz. Tem experiência na área de Geociências.

Dr. Ricardo Caetano Azevedo Biloti possui graduação em Matemática Aplicada e Computacional pela Universidade Estadual de Campinas (1995), mestrado em Matemática Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (1998) e doutorado em Matemática Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Atualmente é Professor Doutor da Universidade Estadual de Campinas. Dentro de suas atividades de pesquisa, destaca-se sua colaboração com a Petrobras no estudo de problemas ligados a processamento e imageamento sísmico. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Matemática Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: análise numérica, geofísica (processamento sísmico), otimização e fractais.

Apoio:

Inscrição


Programa Técnico


Mini-Cursos


Submissão de Trabalhos


Patrocínio



Inscrição

Programa Técnico

Mini-Cursos

Submissão de Trabalhos

Patrocínio

Contato