VARYING PATTERNS OF WATER CIRCULATION IN CANAL DE COTEGIPE, BAÍA DE TODOS OS SANTOS

Marcelo Augusto Greve Pereira, Guilherme Camargo Lessa

Abstract


ABSTRACT

The Canal de Cotegipe is a 30 m deep, 4 km long tidal channel in northeastern Brazil connecting the small Baía de Aratu (24.5 km2) to the much larger Baía de Todos os Santos (1223 km2). Several industrial and port facilities surround the channel and Baía de Aratu, and polluted riverine discharge as well as a direct release of toxic residuals by harbor operations makes the area one of the four polluted hot-spots within Baía de Todos os Santos. An analysis of current measurements, tidal elevation records and water quality monitoring has allowed for a preliminary understanding of the driving forces that affect the channel. Tidal flows are modulated by the extent of intertidal inundation in the channel and the bay, with stronger ebb-dominant flow conditions associated with neap tides at the seaward end of the channel and with spring tides at the landward end of the channel. Subtidal flows are mainly driven by density gradients normally oriented towards Baía de Todos os Santos, leading to a vertically stratified, estuarine like flow. This structure is strengthen in the wet season and weakened in the dry season when unstratified or evenand inverse estuarine stratification may develop as a result of higher evaporation rates.

Keywords :Baía de Todos os Santos; estuary; subtidal circulation; Baía de Aratu.

RESUMO

O Canal de Cotegipe com 30 m de profundidade e 4 km de extensão estabelece a conexão entre a Baía de Aratu (24,5 km2) e a Baía de Todos os Santos (1223 km2). Ao redor da Baía de Aratu e ao longo do Canal de Cotegipe existe uma expressiva concentração industrial e portuária, acarretando em descargas tóxicas que transformam a região em um dos quatro importantes focos de poluição dentro da Baía de Todos os Santos. Análises de dados correntométricos, maregráficos e de qualidade de água permitiram uma avaliação inicial dos mecanismos de circulação ao longo do canal. Os dados indicam que os fluxos de maré são modulados pela extensão de inundação da região intermarés. Uma amplificação do domínio do fluxo de vazante ocorre nas marés de quadratura junto à saída do canal, e em sizígia na sua extremidade interna. Fluxos com freqüência submareal estabelecem-se principalmente devido ao gradiente de densidade normalmente orientado em direção à Baía de Todos os Santos, acarretando em uma estratificação vertical de característica estuarina. Esta estrutura de fluxo é reforçada no inverno e atenuada no verão, quando a redução do gradiente de densidade permite o estabelecimento de fluxos não estratificados ou até mesmo com estratificação estuarina inversa ocasionada pelo aumento das taxas de evaporação.

Keywords :Baía de Todos os Santos; estuário; circulação subtidal; Baía de Aratu.


Keywords


baía de todos os santos; estuary; subtidal circulation; Baía de Aratu












Revista Brasileira de Geofísica (printed version): ISSN 0102-261X
v.1n.1 (1982) – v.33n.1 (2015)

Revista Brasileira de Geofísica (online version): ISSN 1809-4511
v.15n.1 (1997) – v.29n.4 (2011)

Brazilian Journal of Geophysics (online version
a partir de v.30n.1 (2012)



Brazilian Journal of Geophysics - BrJG

Sociedade Brasileira de Geofísica - SBGf
Av. Rio Branco 156 sala 2509
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Phone/Fax: +55 21 2533-0064
E-mail: editor@sbgf.org.br