SEISMIC IMAGING OF HIGH SLOPE STRUCTURES USING ONE-WAY WAVE EQUATION MIGRATION TECHNIQUES

Adeilton Rigaud Lucas Santos, Reynam da Cruz Pestana, Gary Corey Aldunate

Abstract


ABSTRACT. The two-way wave equation deal with the wavefield in all of its forms, including multiples, refractions and internal reflections in more than one layer.Disregarding the downgoing wavefield, that is, considering only the propagation of the upgoing wavefield, starts using the one-way wave equation and some of theseevents are not considered. Thus, in areas of simple geology, the solution of the one-way wave equation is a good approximation. However, if the geology is complex,with abrupt lateral velocity variations and sub-vertical interfaces, such as in the presence of salt domes, methods of migration employing the one-way wave equationfail in imaging this kind of structures. In this paper, we present a way to overcome this limitation, by propagating the downgoing wavefield in following step upgoingwavefield. From these two extrapolated wavefields we apply four different imaging conditions, generating four intermediate sections, and the migrated section is formedfrom the weighted sum between the previous intermediate sections. This migration method was tested in two geological models (vertical fault and in a representativesection of the Santos basin) and was able to reconstruct the complex structures existing in the models.

Keywords: seismic migration, Fourier domain, sub-vertical reflectors.


RESUMO. A equação completa da onda trata da propagação do campo de ondas em todas as suas formas, incluindo múltiplas, refrações e reflexões internas emmais de uma camada. Ao desprezar o campo de ondas descendente, ou seja, ao considerar a propagação apenas do campo ascendente, passa-se a empregar aequação unidirecional da onda e parte destes eventos não são considerados. Desta forma, em áreas de geologia simples, a solução da equação unidirecional é umaboa aproximação, entretanto, caso a geologia seja complexa, apresentando variações laterais bruscas de velocidade e interfaces subverticais, tal como na presença dedomos salinos, os métodos de migração que empregam a equação unidirecional falham no imageamento das estruturas. Neste trabalho, apresenta-se uma forma detranspor esta limitação, através da propagação do campo de ondas descendente, numa etapa seguinte à do campo ascendente. A partir desses dois campos extrapolados,aplicam-se quatro condições de imagem distintas, gerando quatro seções intermediárias, e a seção migrada será formada a partir da soma ponderada entre as seçõesanteriores. Este método de migração foi testado em dois modelos geológicos (falha vertical e seção tipo da bacia de Santos) e mostrou-se capaz de reconstruir asestruturas mais complexas existentes nos modelos.

Palavras-chave: migração sísmica, domínio de Fourier, refletores subverticais.


Keywords


seismic migration, Fourier domain, sub-vertical reflectors



DOI: http://dx.doi.org/10.22564/rbgf.v33i1.602










Revista Brasileira de Geofísica (printed version): ISSN 0102-261X
v.1n.1 (1982) – v.33n.1 (2015)

Revista Brasileira de Geofísica (online version): ISSN 1809-4511
v.15n.1 (1997) – v.29n.4 (2011)

Brazilian Journal of Geophysics (online version
a partir de v.30n.1 (2012)



Brazilian Journal of Geophysics - BrJG

Sociedade Brasileira de Geofísica - SBGf
Av. Rio Branco 156 sala 2509
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Phone/Fax: +55 21 2533-0064
E-mail: editor@sbgf.org.br