PROCESSING AND IMAGING OF MARINE SEISMIC DATA FROM THE JEQUITINHONHA BASIN (BAHIA, BRAZIL)

Lourenildo W.B. Leite, J. Mann, Wildney W.S. Vieira

Abstract


ABSTRACT. The present study results from a consistent processing and imaging of marine seismic data from a set collected over sedimentary basins of the East Brazilian Atlantic. Our general aim is first to subsidize geological interpretations with plausible subsurface images for oil and gas exploration. In second place, to verify published schematic geological interpretation for these basins by underlying the sediment/basement contact, from where subvertical faults are projected upwards through the basin followed by folded structures. The data-driven results can be used to trace the reflector boundaries in the time sections, submitted to time-to-depth axis transformation, and to be used as a first model for further basin pressure prediction, where natural pumps necessarily develop for the mechanism of oil and gas accumulation. The applied fundamental techniques are mainly based on the data-driven common reflection surface stack, where it is shown the improvement of the signal-to-noise ratio, the lateral continuity of the reflection events, the resolution, and that time migration collapses the diffraction events. The CRS migration strongly collapsed the diffraction events, allowing some subsurface structures be more evident. The free surface and some shallow internal multiples can be clearly traced for further processing aiming at their attenuation. The interpretation lines are meant to show the geometry of selected reflectors, and to help comparing the results with other similar sections. One can trace some subvertical fault systems starting from the lower part of the section (interpreted as the basement), and their extension upwards through the sedimentary sequence.

Keywords: CRS stack, CRS migration, residual static correction, NIP wave tomography.

RESUMO. O presente artigo resulta de um processamento e imageamento consistentes de dados sísmicos marinhos de levantamento realizado em bacias sedimentares do Atlântico do Nordeste brasileiro. Nossos objetivos gerais são em primeiro lugar subsidiar as interpretações geológicas com imagens plausíveis do subsolo, e voltadas à exploração de óleo e gás. Em segundo lugar, verificar as interpretações geológicas esquemáticas publicadas para estas bacias, para conferir o delineamento do contato sedimento/embasamento, de onde falhas subvertical são projetadas através da bacia, seguidas de estruturas dobradas. Os resultados baseados em dados reais podem ser usados para delinear interfaces refletoras contidas nas seções tempo, submetidos à transformação da coordenada tempo para profundidade, e que podem ser usados posteriormente como um primeiro modelo para a predição de pressão em bacias sedimentares, onde se desenvolve um bombeamento natural necessário para a acumulação de óleo e gás. As técnicas fundamentais aplicadas baseiam-se principalmente no denominado empilhamento de superfície de reflexão comum, baseado em dados observados, onde se mostra a evolução da relação sinal-ruído, da continuidade lateral dos eventos de reflexão, da resolução, e o colapso dos eventos de difração nas seções de migração do tempo. A migração CRS colapsa fortemente os eventos de difração permitindo que algumas estruturas do subsolo sejam mais evidentes. Múltiplas da superfície livre, e algumas internas rasas, podem ser claramente traçadas para processamento adicional que visam a atenuação. As linhas de interpretação trac¸adas visam mostrar a geometria dos refletores selecionados, e ajudar na comparação com outros resultados de seções semelhantes. Pode-se traçar um sistema de falhas subvertical a partir da base inferior (interpretada como o embasamento) da seção escolhida como referência, e os seus prolongamentos através da sequência sedimentar.

Palavras-chave: empilhamento CRS, migração CRS, correção estática residual, tomografia NIP.


Keywords


CRS stack, CRS migration, residual static correction, NIP wave tomography.



DOI: http://dx.doi.org/10.22564/rbgf.v33i3.946










Revista Brasileira de Geofísica (printed version): ISSN 0102-261X
v.1n.1 (1982) – v.33n.1 (2015)

Revista Brasileira de Geofísica (online version): ISSN 1809-4511
v.15n.1 (1997) – v.29n.4 (2011)

Brazilian Journal of Geophysics (online version
a partir de v.30n.1 (2012)



Brazilian Journal of Geophysics - BrJG

Sociedade Brasileira de Geofísica - SBGf
Av. Rio Branco 156 sala 2509
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Phone/Fax: +55 21 2533-0064
E-mail: editor@sbgf.org.br